Por Ana M.:


Oi mamães! 
Como estão? 

Primeiramente desejo a vocês um ano cheio de paz, saúde e muitos sorrisos. 

Então, hoje venho dar a minha opinião sobre a tão polêmica “coleira infantil”, “mochila-coleira”, “guia infantil”.
Eu era contra, disse que jamais usaria, até precisar usar e amar.

Nos lugares que possuem uma movimentação maior como shoppings, supermercados e até em algumas praias, está virando rotineiro encontrar mães que fazem o uso da “coleira”. Já viram? 
Para muitos, uma solução em frear as crianças fujonas, ou que gostam mesmo de andar “livres” e entrando em qualquer estabelecimento que bem entender e para outras, um abuso a liberdade da criança, falam que estamos tratando nossos filhos como “cães”, e até cogitam a falta de autoridade de uma mãe.
Gente, não acho que o uso da mesma tire a minha autoridade. Acredito que temos que ter autoridade em todos os ambientes, inclusive com o uso ou não da coleira. Quer dizer então que se meu filho usa a coleira, em casa ele não têm regras? Não penso assim. 

O acessório garante uma tranquilidade ainda maior para nós que andamos com nossas crianças pra todos os lados. 

Usei ontem pela primeira vez, Enzo não gostou muito, pois antes corria de um lado para o outro e eu atrás, pedindo desculpa por esbarrar nas pessoas e sempre aquela atenção dobrada para não perdê-lo de vista e foi aí onde a coleira me ajudou, além do mais, o freou em todas as tentativas de correr. Outro item muito importante, evita que o Enzo seja pego no colo por pessoas desconhecidas, e inibe ainda mais as pessoas de má índole. 
No atual País que estamos morando (Arábia Saudita) existe um histórico gigantesco de rapto de crianças e por sermos estrangeiros as coisas e os olhares complicam ainda mais. 

Usei, uso e recomendo! 
E você, usaria? 

Um beijo, mães!