Por Ana M.:

Quem nunca escutou da mãe, da avó, do avô, do tio, da tia, o ditado; “Vai dormir senão não cresces?” Pois dito e feito, a ciência comprovou que o tal “dormir cedo” faz muita diferença no crescimento e no desenvolvimento dos pequenos de zero a seis anos.

Durante o sono, nosso cérebro não para de trabalhar. Ele memoriza tudo o que foi aprendido durante o dia e, se a criança dorme mal, este processo não é produzido com exido, alterando até mesmo o metabolismo.

Do nascimento até o sexto mês de vida, o sono vem em ciclos de três a quatro horas no primeiro mês de vida, independente de ser noite ou dia. Entre o primeiro e o quarto mês, o bebê vai se adaptando à luz e fazendo um sono mais longo quando é noite, por isso dizem que quando o bebê dorme de dia é bom deixá-lo a luz do dia e de noite, ambiente escuro, ajudando-o a identificar quando é dia e quando noite. Quando a criança não possui o hábito de dormir cedo e nem mesmo o tempo necessário (no primeiro mês de vida, o indicado é de 16 a 20 horas de sono; de um a 12 meses, de 14 a 15 horas; de um a três anos, de 12 a 13 horas, e de três a seis anos, de 11 a 12 horas de sono.) acaba influenciando diretamente no futuro das crianças, que tendem a ficar mais baixas, mais ansiosas, desatentas e com diferentes transtornos, tendo que frequentar cada vez mais médicos, tomando mais remédios.

Sabemos que não é fácil colocá-los para dormir mais cedo, muitos esperneiam por não estarem acostumados. Não é fácil mudar os nossos hábitos, quem dirá os deles.

Aqui em casa estou trabalhando este lado, (admito que falhei muito!), Enzo sempre dormiu praticamente a hora que chegava o sono, porém, estou praticando essa nova e correta maneira de educar o sono. Há três dias, coloco Enzo às 22 horas (o correto seria as 21 horas, calma, chegarei lá!) no berço, deixo resmungar e, de cinco em cinco minutos, dou uma olhada, faço um carinho, coloco a chupeta, dou uma água e reforço o meu amor por ele e saio… praticando esse exercício até ele cansar e dormir. É um pouco torturante, mas é para o bem deles e para o nosso também.

E aí, qual a rotina de vocês? Mães, calma, estamos em constante evolução!

Um beijo meu e do Enzo!
@souanamendes