Por Ana M.:

Oi mamães e amigas!!

Tudo certo por aí?

A ciência afirma que as crianças não nascem teimosas, isso são comportamentos e fases que todas passam, chegando a conclusão de que este comportamento pode ser uma consequência da educação dada em casa, dos exemplos dos entes mais próximos, bem como o comportamento dos colegas na escola…

Pois bem, fato que todas passam, mas cabe a nós permitir ou não que esta teimosia permaneça ou não.
Sempre comentei que é muito importante dizer não aos babys, esse ato enfatiza o certo do errado e também o que ele pode ou não fazer, sempre com firmeza na voz e nos olhares.
Mas passei por uma situação muito constrangedora e vou contar a vocês. Admito que ainda não consegui “por na linha” essa teimosia e birras.

Essa semana saí para jantar com as amigas e tive que levar o Enzo (normalmente deixo ele com a minha mãe), não imaginei que seria tão difícil.
Chegamos, nos servimos e até então eu estava impressionada com o comportamento dele, até que ele cansou de ficar “parado” e aí começou o show.
Ainda sentado, começou a resmungar, liguei o aplicativo da “santa” Galinha Pintadinha e nada de se acalmar, tirei ele da cadeira e botei no meu colo mas ele queria ir mesmo era para o chão, andar, respirei fundo (tirei forças do pé!!!) e fomos dar uma volta, porém ao retornar a mesa a birra e teimosia foi maior; se jogava para trás, berrava e chorava ao mesmo tempo e quanto mais eu dizia o não, ou falava que era feio, mais ele fazia.
Sério, quanta vergonha, tive uma leve impressão que o restaurante parou para assistir o show. Óbvio que fui embora mais cedo e prometi que não sairia com ele enquanto não me obedecesse.

Vou recomeçar a praticar as teorias e ideias que nos dizem, que estudamos e que são básicas no dia a dia.
Não existe uma porção mágica que faça eles nos obedecerem, mas a paciência e perseverança são os ingredientes principais, então… lá vamos nós, tudo de novo!
Ah, não usem a força para corrigir a teimosia. Isso não educa.

Um beijo cheio de força de vontade!