Por Ana M.:

Oi mães e amigas!!

Sempre ouvi dizer que educar não era fácil e hoje eu concordo plenamente. A prática é muito, muito mais difícil. Aqui, entramos na fase das agressividades, dos puxões de cabelo, tapas, empurrões e objetos jogados ao chão. 
O que fazer? Como agir? É normal?

Sim, supernormal, mães! Essa fase se inicia a partir dos 10 meses e é tudo um processo de aprendizagem para eles e para nós, um teste de paciência, literalmente!! 
A primeira terapia da violência é a fala, converse, mostre firmeza na sua posição de mãe/pai. Seu filho tem que aprender e saber que quem manda na casa ou situação é você e que você diz o que deve ou não fazer.

Toda vez que seu bebê bater, segure os braços levemente no ato em que o fato ocorrerá, olhe nos olhos (sempre muito importante, esse processo se inicia desde as primeiras mamadas!), e, com firmeza, diga que você não gostou desse acontecimento, que fazer assim machuca e dói. Logo, oriente a fazer carinho, pega a mão dele e demonstre em você ou em quem ele tenha batido, e assim repetidamente toda vez que o ato acontecer. Não esqueçam, incentive sempre o seu filho com palavras positivas e elogie quando fizer as coisas certas, a criança pode não entender os motivos dos atos, mas ela absorve as palavras. Às vezes, muitas privações na infância, muitos “nãos” sem explicações e a falta de carinho podem acarretar um mau comportamento com os colegas de escola, vizinhança e até mesmo no futuro.

Cansa, cansa muito, mas o jeito carinhoso, olhos nos olhos e paciência é a forma mais certa de se agir. Não vou mentir, testei de outras formas também e não vi evolução. Além do mais, eu saia de mim, ficava irritada, queria que ele me entendesse daquela maneira. Aí, lembrei: nada é no nosso tempo, que tenhamos calma pra passar mais essa fase, mães!

Depois me contem suas experiências e como fizeram? Estamos na tentativa de fazê-lo entender, risos!!
Beijos, meu e do Enzo “serelepe”! 
@souanamendes