Por Nani P.:


É comum muita confusão entre estes dois conceitos tão importantes.
Esse texto simples e muito bem abordado pelo Dr Paulo Gentil explica de forma muito didática quais são as diferenças!
E lembre-se: consulte sempre um nutricionista para elaborar a melhor dieta para você.

Estou vendo muita gente usar o índice glicêmico para condenar frutas, então acredito que seria bom explicar essa questão.O índice glicêmico se refere à elevação da glicose sanguínea gerada por um alimento em comparação a uma referência (normalmente à glicose), ambos contendo a mesma quantidade de carboidratos. Ou seja, se um alimento tem índice glicêmico de 60, significa que a ingestão de uma quantidade que tenha 50g de carboidratos leva a 60% da resposta glicêmica da ingestão de 50g de glicose.
Como a reposta glicêmica é associada à resposta de insulina, se recomenda evitar alimentos de alto índice glicêmico.

Entendido? No entanto, existe outro conceito pouco falado, a carga glicêmica, que é muito mais aplicável no mundo real, pois leva em conta a quantidade de carboidrato disponível no alimento.Peguemos a banana nanica, por exemplo, seu índice glicêmico está na casa dos 60, mas como ela possui 80% de água e 20% de carbos, a carga glicêmica é de 12 para uma porção de 100g (60 x 0,2 = 12). Se você comer a mesma quantidade de pão você estará ingerindo um alimento com índice glicêmico similar, mas a carga glicêmica será o dobro, pois 40% dele é carboidrato (60 x 0,4 = 24).
Desse modo, a reposta de insulina será maior, apesar dos índices glicêmicos similares.
Além dessa maior densidade de carboidratos e de calorias, devemos lembrar que a ingestão de frutas gera uma reposta de saciedade bem diferente de pães, massas, bolos…

(Dr Paulo Gentil)