Por Andressa L.

Gente! Chegou um super  aparelho na academia e eu já vim correndo pensando em um post para mostrar pra vocês essa nova maravilha que está fazendo o maior sucesso nas academias!

Estamos falando da Estação de Treinamento Funcional que consiste em um aparelho disposto de várias funções e diferentes objetos para o treino.
Tais como : TRX, cordas, elásticos, kettlebell (bolas de ferro com pesos), medicine ball (bolas com peso), cordas, barras, entre outras funções comuns como a barra para agachamento.
Cada marca dispõe de itens e funções diferentes.


Para entenderem vou começar a explicar o que é o “treinamento funcional”, partindo então para o aparelho e suas funções.

O treinamento funcional é uma série de exercícios que trabalha a musculatura profunda com atividades que utilizam equipamentos como elásticos, bolas, cordas, cones, cintos de tração e hastes. Esse trabalho físico é o reflexo do que se faz no dia a dia, como pular, correr, puxar, agachar, girar e empurrar. Dessa forma, a pessoa ganha mais força, equilíbrio, agilidade, flexibilidade, resistência, coordenação e condicionamento físico. Além de tudo isso serve como prevenção de lesões.

O exercício funcional foi criado para que fosse possível treinar todo o corpo ao mesmo tempo não levando tanta sobrecarga nas articulações. Pode ser usado somente o peso do próprio corpo ou usar os acessórios que foram criados para trabalho de diferentes grupos musculares.

Dentro do exercício existem várias maneiras de se trabalhar, como a velocidade, potência, agilidade e explosão.

Os exercícios são definidos de acordo com as necessidades de cada aluno e são realizados nas estações montadas. 
Dessa forma também, é possível trabalhar grupos musculares individualmente e apenas de um lado do corpo, permitindo compensações, resolvendo assimetrias e correções de postura, pois o aluno preocupado em estar com a postura correta para realizar os movimentos adquire uma maior consciência corporal.

A estação dispõe de várias ferramentas interessantes.
Vou falar das duas mais conhecidas e usadas. 
O TRX que são tiras aonde você consegue fazer uma série de exercícios como: costas, peitoral, membros inferiores, afundos e etc. Usando somente o peso do próprio corpo como resistência, Bacana não é mesmo?
São várias possibilidades, é possível fazer o exercício com apenas um ponto de apoio e assim aumentar o gasto energético e o número de músculos envolvidos.

Os exercícios parecem ser fáceis de serem executados, mas o corpo é bastante exigido para executar os exercícios corretamente. 
Uma das vantagens é que dificilmente você vai usar mais peso do que consegue, como pode acontecer na academia. Assim, o corpo se acostuma mais rápido ao treinamento, coisa de uma semana, mais ou menos.
O importante é respeitar um intervalo de pelo menos um dia entre os treinos – nada diferente do que um iniciante deve fazer quando começa a se exercitar depois de um tempo parado.

Agora vem o Kettlebell o qual já fiz um post sobre o assunto para vocês.
O kettlebell é um dos mais conhecidos e muito usado tanto no cross fit quanto para o treinamento funcional. Ele não deve ser usado como um halter comum. Seu formato com alça permite realizar movimentos específicos, inviáveis com pesinhos tradicionais. Em um dos movimentos, também muito conhecido e a base dos movimentos, o chamado swing.
Em que a bola sobe usando a força do quadril e ao descer, o braço trabalha para brecar a velocidade.  A maior parte dos movimentos é pendular, como a parte interna de um sino.
São seis os movimentos básicos.
O swing é um exercício de potência balística de membros inferiores com dominância de quadril. Ou seja, a responsável por todo o movimento é a articulação do quadril e todas as musculaturas envolvidas.
A maior parte dos movimentos executados no kettlebell training exercita o corpo de forma unilateral.
O swing é a base para todo o treinamento e fortalece a coluna. 

Agora separei para vocês alguns exercícios diferentes dos convencionais possíveis de fazer nessa engenhoca!

1: É possível fazer uma série de exercícios, começo com esse que é um abdominal com a medicine ball – uma bola que pesa, essa no caso era uma de 6 kg e elas variam de peso. Subo o tronco com o abdômen travado, jogo a bola na cama elástica a frente, retorno o tronco e a bola volta para mim repetindo o mesmo movimento.



2: Desenvolvimento de ombros com a corda elástica.



3: Crucifixo invertido para posterior de ombro e costas


4: O swing com kettlebell. Esse mesmo peso o kettlebell pode ser usado para fazer agachamento nessa mesma posição, afundos, passadas e muitos exercícios para os membros inferiores.



5: Remada cavalinho para as costas. A máquina possui em encaixe onde é possível que faça remada sem que outra pessoa precise segurar, pois esse é um exercício que muitas vezes deixamos de fazer por não ter aonde apoiar a barra, improvisando nos cantos da academia, estragando as paredes e muitas vezes ficando desconfortável.


6: Tríceps na paralela. Essa paralela também é móvel podendo tirar e encaixa em outra altura ou outro lado do aparelho, muito legal essa versatilidade da estação.
A última foto é a original da estação da academia que treino. Acho muito legal esses exercícios até mesmo para encaixar junto ao treino de musculação, pois ativam fibras diferentes que muitas vezes não ativamos com um mesmo exercício feito com pesos comuns. Fico por aqui. Espero que gostem e ate a próxima.